domingo, 8 de janeiro de 2017

Iceberg gigantesco está prestes a se romper no norte da Antártica

Segundo cientistas, ruptura do bloco de 5.000 km² mudará a geografia da região


Imagem da Nasa que revela extensão da ruptura na plataforma Larsen C. (Nasa/Divulgação)

Um gigantesco iceberg, considerado um dos dez maiores do mundo, está perto de se soltar da Antártica, afirmaram cientistas na quinta-feira. O bloco de 5.000 quilômetros quadrados, área equivalente à do Distrito Federal, é resultante de uma grande rachadura na plataforma de gelo Larsen C, na Antártica, que se expandiu abruptamente no mês passado. Apenas vinte quilômetros de gelo impedem que o imenso bloco se solte da plataforma e se torne um iceberg de 80 quilômetros de comprimento.


Nasa/Divulgação

A muralha gelada “irá mudar fundamentalmente o cenário da Antártica”, afirmaram em comunicado cientistas britânicos do Projeto Midas da Universidade de Swansea, no País de Gales, que monitora o impacto do derretimento em plataformas de gelo. Como flutuará, o bloco de gelo não deve causar aumento no nível dos oceanos – no entanto, rupturas futuras decorrentes do desprendimento podem levar ao descongelamento de geleiras e, como a água dessas últimas são integradas aos mares, podem levar ao aumento do nível. Segundo estimativas dos pesquisadores, se toda a plataforma Larsen C derreter, os oceanos podem aumentar em até 10 centímetros.


Fonte: MIDAS Project

Em 2002, prateleiras de gelo de Larsen C e Larsen B desmoronaram violentamente, se quebrando em milhões de pedaços - acelerando uma intensa massa de gelo quebrado na corrente antártica.

Antes de Larsen B desmoronar, ele demonstrou um padrão semelhante ao Larsen C. Em 1995, outra plataforma de gelo, Larsen A, também se rompeu a partir da mesma massa de gelo.

dyeimismachacaz
O sensor de satélite MODIS da NASA registrou o colapso da plataforma de gelo Larsen B em 2002.

Desde então, os pesquisadores do MIDAS têm acompanhado Larsen C de perto. Embora esta não seja a primeira vez que a Antártida tenha visto icebergs produzidos dessa maneira, a divisão de Larsen C mudará significativamente a paisagem do continente.

Os pesquisadores têm acompanhado a rachadura em Larsen C por muitos anos. Nos últimos meses, porém, passaram a observá-la com atenção em razão de colapsos das plataformas de gelo Larsen A, em 1995, e Larsen B, em 2002.

Segundo os cientistas, o fenômeno que pode levar à ruptura do iceberg não é climático, mas geográfico. É provável que as mudanças climáticas tenham antecipado o rompimento, mas talvez não sejam a causa do fenômeno.



Fontes: CNN/Projeto Midas/Veja